Logo Govoni Marketing Digital

Blog

Acompanhe nossas dicas sobre marketing digital
Principal / Blog

Vale a pena ter uma loja online?


VALE A PENA TER UMA LOJA ONLINE?


Esta é uma pergunta muito comum para quem anuncia produtos no ambiente online. Com as facilidades das redes sociais e marketplaces, fica a dúvida. Por que ter uma loja? Vale a pena o investimento? Muito disso depende de vários fatores, obviamente, mas vamos ver alguns deles para lhe ajudar a ter uma visão de quais as vantagens e desvantagens de ter uma loja em comparação com os anúncios nas redes. 

FERRAMENTAS DE BUSCA E POSICIONAMENTO NO GOOGLE

Uma grande diferença que temos entre os anúncios de redes sociais e dos marketplaces e lojas online é a facilidade em encontrar o seu produto. Se o seu cliente em potencial não segue a sua empresa na rede que você usa (Facebook, Instagram, etc), dificilmente ele vai encontrar os seus anúncios de produto.

Ele primeiro teria de encontrar a página da sua empresa, para somente depois ver os produtos. Já nos Marketplaces e Lojas Virtuais, o produto que a pessoa pesquisou na busca vai aparecer nos resultados. Obviamente, é necessário um bom SEO para que o produto esteja bem posicionado. Então tanto os Marketplaces quanto as Lojas Virtuais têm vantagem neste quesito. A página das redes sociais neste caso funciona melhor para quem já é cliente e já conhece a sua empresa.

FACILIDADE NO PROCESSO DE COMPRA

Conforme falamos no artigo “Quais as vantagens de vender online” , ter o seu negócio em um ambiente online facilita o atendimento. Isto é verdade nos três casos: Redes sociais, marketplaces e lojas virtuais. Porém, novamente os marketplaces e e-commerces têm uma vantagem que pode ser pequena ou grande dependendo do volume de pedidos da sua empresa.

Em uma empresa que tem muitos pedidos por dia, pode ocorrer de você não ter tempo de atender todos em pouco tempo, e às vezes os “bots” das redes não são suficientes para segurar o cliente até você conseguir atende-lo. Nestes casos, o cliente poder fazer a sua compra sem precisar entrar em contato com o vendedor é muito interessante, por isso estas duas opções são interessantes para quem tem muitas vendas ou pouco tempo.

A desvantagem do marketplace neste caso é não ter uma forma de contato imediato para sanar dúvidas, como no caso das redes sociais ou do e-commerce, que pode ter um chat para atender os clientes ou links para atendimento.

Esta facilidade existe tanto no processo do cliente como no do comerciante, pois existem diversas integrações com modos de pagamentos, que têm muito mais opções de configuração inexistentes nas redes sociais. Além de tudo isso, também existe a integração com transportadoras e com os Correios, com cálculo de frete, que pode ser o fator decisivo para o cliente efetuar uma compra.

MONITORAMENTO

Outra diferença entre os diferentes modos de se vender online está no monitoramento de sua empresa. Sim, o Facebook também tem relatórios, e vários deles são muito interessantes.

Porém, um e-commerce pode ter relatórios bem mais específicos para o comércio, com filtros que não existem nas redes sociais, como tipo, categoria e marca dos produtos, por exemplo.

Além dos relatórios, tanto os marketplaces quanto os e-commerces trabalham com controle de estoque, além de ter também facilidade de acesso aos cadastros de clientes, e no caso dos e-commerces, também dos nossos fornecedores.

Então conseguimos monitorar o quê cada cliente está comprando, quanto ele está comprando, com que frequência, quais produtos estão parados no estoque, etc. Da mesma maneira que ocorre com o tópico anterior, estas funções têm uma relação de importância que aumenta proporcionalmente com o tamanho da empresa ou o volume de transações efetuadas.



CONFIANÇA NA MARCA

O seu cliente efetuou uma busca no Google e encontrou o seu produto. Porém, ele encontrou o mesmo produto em outras empresas. De quem ele vai comprar? Ele vai comprar o mais barato? Algumas vezes sim, mas não é o comum, pois hoje em dia estamos acostumados a desconfiar do preço. E é neste ponto que ter um e-commerce e TAMBÉM uma página em redes sociais (mesmo que não seja para vendas) vale a pena.

Os marketplaces, principalmente os maiores, já têm mecanismos de segurança para que o cliente e o comerciante não recebam golpes. Porém, a pessoa ver uma página onde consta o endereço, CNPJ (que é obrigatório por lei constar nos e-commerces), telefones para contato e fotos do estabelecimento conta muito mais para existir esta confiança na empresa. Ninguém espera levar calote de uma empresa que está colocando a cara a tapa na internet, divulgando os seus dados.

A veracidade das informações pode também ser conferidas pelo consumidor, como o endereço pelo Google Maps, ou o CNPJ e telefone na Secretaria da Fazenda por exemplo, então ele se sente mais seguro em finalizar uma transação com o estabelecimento.

Ter um e-commerce próprio também faz a empresa “parecer maior”, que para muitos clientes é um fator importante na decisão de compra.


RELAÇÃO CUSTO/BENEFÍCIO

Outro fator que deve ser levado em conta quando decidir qual plataforma usar é quanto você tem para investir no seu negócio.

Se você a recém está começando e não possui nenhum cliente, pode ser interessante sim começar apenas nas redes. Porém, é válido lembrar que sempre há uma comissão sobre as vendas que fica com o Facebook ou com o Instagram. 

Estas taxas podem existir nos três casos: Redes sociais, marketplaces ou e-commerce. Então vale a pena dar uma pesquisada antes para ver qual está valendo mais a pena neste quesito, e algumas plataformas de e-commerce têm pagamento de valor fixo mensal ao invés de comissão sobre vendas, que dependendo do seu caso pode ser mais interessante também.

E como falamos no tópico que tratava da facilidade de atendimento, a quantidade de clientes e pedidos que você também pode mexer no bolso, visto que se você anuncia nas redes e tem muitos pedidos e pouco tempo, pode acabar precisando de mais funcionários para atender os clientes.

Mesmo nos casos em que o negócio é familiar e “sem custo”, ter os envolvidos no processo com mais tempo livre para desempenhar outras tarefas gera um grande potencial para aumentar o faturamento, e as automações que vêm com estas plataformas ajudam muito em otimizar este tempo.


CONCLUSÃO

Não existe resposta certa, se você deve ou não anunciar em todas as plataformas disponíveis. Tudo depende de como está a sua empresa no momento, mas como pudemos ver no artigo, ter um e-commerce pode sim ajudar muito no desempenho de sua empresa, e por um custo muito pequeno.

Junte- se a nós

Nos siga nas redes sociais e conheça mais sobre nosso trabalho.
Govoni Marketing Digital